Juízo Final – Geraldo Carneiro

Adelia Prado

amou três ou quatro sereias, sempre

marinheiro de primeiro naufrágio;

jurou em falso,disse meias verdades;

perambulou em busca do sublime,

sem nunca descobrir o Santo Graal;

andou atrás de um deus que fosse cômodo;

como esse deus não se desencantasse,

cantou a lua e outras deusas inconstantes;

refratário às ciências, desconfia

que o Sol gira ao redor da Terra

e o homem é um animal fadado à extravagância;

às vezes sofre acessos de grandeza,

supõe-se demiurgo e pandemônio,

mas o mundo sempre se rebela

contra suas mal fundadas esperanças

e o reduz à sua insigne insignificância .

 

Geraldo Carneiro

In Palavrarte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s