O RETRATO NAS PAREDES – Barros de Pinho

"UM SINAL"

 

As casas como as pessoas

guardam cicatrizes

expostas no rosto do tempo.

 

Às casas sempre voltamos

nelas a vida anda por trás do que passou

existem na existência indo embora.

 

As casas onde morei para viver

na afoitosa e lúdica adolescência

abrem rugas na face branca das paredes.

 

De dentro delas saltam sonhos

que não querem envelhecer

e o menino açoitando o vento nas curvas do rio

que se arrasta na carne azul da paixão.

 

 

in “Poemas de Mesa”

 

José Maria de Barros Pinho (Teresina, Piauí 25 de maio de 1939 — Fortaleza, Ceará, 28 de abril de 2012)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s