Um conto de reliberdade

Esse lindo conto é de uma grande amiga , a quem amo muito e de quem adoro ouvir os contos…aproveitem bem !!

transversos

O desejo de tocar o céu novamente era o que me mantinha viva…

Um pássaro canoro voava manso e cantava tão bonito de fazer inveja em pássaro-lira. Era tão livre que nem nome tinha. Dia desses foi engaiolado… A tristeza e a solidão lhe alvejaram. Suas penas perderam o viço. Suas pequenas garras se envergaram. As penas caudais, que antes se abriam verticalmente, penderam. Cabeça baixa, como se algo procurasse no fundo da gaiola, mal piava. Um pio triste e melancólico… Não comia, nem bebia. Só contemplava o verde lá fora.

Em dias de sol e brisa fresca, o homem punha a gaiola na goiabeira. O pássaro, que agora é “descanoro”, se debatia entre as hastes finas da gaiola. Suas garras deformadas se agarravam às barras de sua cela como se pudessem curvá-las. Tamanho desespero era ignorado por seu senhor. Cansado, o pássaro desistia, fechava os pequenos olhos e sentia…

Ver o post original 450 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s